sexta-feira, 28 de setembro de 2012

RESENHA: Reformed Vampire - Grupo de Apoio Ao Vampiro

5 comentários
Nome: Reformed Vampire - Grupo de Apoio Ao Vampiro
Autora: Catherine Jinks
Editora: Farol Literário
Links: Skoob
Comparando preços: por R$31,90 na FNAC

Sinopse: "Reformed Vampire – Grupo de Apoio ao Vampiro" é uma história diferente de tudo o que você já leu sobre vampiros. Na verdade, você vai conhecer o lado real de ser um vampiro, aquele que ninguém conta! Eles estão quase sempre doentes ou com dor, e se reúnem em uma espécie de terapia de grupo para discutirem seus problemas e como controlar seus instintos, ou seja, o desejo de sair mordendo pessoas. Nina tornou-se vampira quando tinha apenas quinze anos, e não envelheceu um dia desde então. Mas também não teve um dia sequer de diversão, já que sua rotina isolada dentro de casa é incrivelmente chata, sem poder fazer o que realmente tem vontade. No entanto, tudo vai mudar na vida dela e de seus amigos vampiros quando um membro do grupo é morto de forma misteriosa. Tendo sua identidade ameaçada, terão que sair à caça do assassino, e logo se descobrirão em uma disputa contra lobisomens. Será que vampiros tão frágeis poderão vencer uma batalha como esta? Sangue, desejo e instinto vem à tona com uma bala de prata no peito, estopim de uma batalha em busca da identidade.

Desde que ganhei Reformed Vampire numa promoção, minha vontade de lê-lo aumentava a cada dia. Talvez fosse culpa da capa - linda, por sinal -, ou das resenhas que li, mas uma coisa era certa: o livro já tinha minha simpatia. Não sei explicar como, mas todos nós passamos por isso. É aquela conexão que você sente com o livro, mesmo sem ter lido o primeiro parágrafo da história. 
No livro, somos apresentados à Nina, uma vampira de 51 anos, que foi transformada aos 15 e desde então mantém a aparência de adolescente. Embora a vida de um vampiro seja tratada com glamour no cinema e na tv, a vida real desmente esse boato. Nina sofre de dores constantes, não pode ver a luz do sol e é frágil a  qualquer tipo de energia forte. Todos os vampiros sofrem com isso, e se reúnem semanalmente para discutir sobre dores, a vida cotidiana e para conversar. Esse é o Grupo de Apoio Ao Vampiro, organizado por um padre e realizado numa igreja católica. Quer mais ironia do que isso?
Numa das reuniões, o grupo descobre que um de seus membros, Casimir, foi assassinado, e que sua agenda de endereços foi roubada. Com isso, outros membros poderiam ser encontrados e, consequentemente, também assassinados. Apavorados, decidem enviar os mais corajosos numa busca ao assassino, onde o estopim é uma bala de prata. Quem é o matador de vampiros, e o que uma bala de prata fazia na cena do crime? São essas e outras dúvidas que fazem com que o mistério do livro seja aos poucos desvendado.
Devo admitir que a autora me surpreendeu. A história dos lobisomens foi muito bem encaixada na trama dos vampiros, e não foi clichê em nenhum momento. O assassino de Casimir é alguém inimaginável, que me fez gargalhar por um bom tempo. Catherine soube criar uma sacada de mestre, e brincou com minha mente até o último parágrafo.
O livro é muito consistente, se tornando diferente de outros do gênero. A história da morte de Casimir é levada até o fim, mesmo que o mistério do assassino seja desvendado na metade do livro. Outra diferença é que Nina não é uma protagonista chata, só mal compreendida. Pude compreender seus surtos, e amei os personagens que a rodeavam. Sua mãe é muito engraçada, ainda mais quando implica com os vampiros.
Por focar demais no mistério, a autora esqueceu do romance, e isso acaba se tornando um ponto negativo para o livro. Em sua maioria, os personagens não demonstram fraquezas emocionais, como se fossem imunes à tristeza. Faltou um lado emocional no livro, e talvez por isso eu não tenha me identificado tanto com a história. A única cena romântica do livro é, pasmem, no penúltimo capítulo.
Faltou uma revisão final no texto. O português em si foi bem utilizado, mas o revisor pecou na divisão entre história e falas. Tive que ler as mesmas falas diversas vezes, porque os personagens falavam sem travessão, ou a história era contada dentro deles. Espero que a Farol preste mais atenção nisso, e tente melhorar em seus próximos títulos.
Recomendo Reformed Vampire para todos que, assim como eu, são apaixonados por vampiros. É muito legal ver um outro lado dessas criaturas, que estão ficando saturadas com o passar dos anos. Catherine soube dar uma nova roupagem a esses seres, e teve minha aprovação. Fiquei curioso para ler outros títulos da autora, e espero que isso aconteça em breve.


sábado, 22 de setembro de 2012

Quatro Contra Um: Eu Sou o Número Quatro

4 comentários
"Quatro Contra Um" é uma coluna semanal, com o intuito de falar sobre livros de uma forma mais humorada e descontraída

Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham em ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e quadrinhos, mas somos reais. Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, nós estamos fugindo. O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo.



Primeiramente, este é meu primeiro blog, e quero dizer que é uma honra fazer parte dele!
Quem aqui já assistiu aquele filminho de aventuras/sci-fi chamado "Eu Sou o Número Quatro"? Você já? O que achou dele? Um filme teen, normal e clichê? Bem, vamos mudar essa ideia AGORA. E para você, que ainda não assistiu ou não conhece, esta será uma boa oportunidade para conhecer. Vamos ao Quatro Contra Um dessa semana.




Motivo Positivo #1: Deixa um gostinho de ‘quero mais’ a cada capítulo.
Qual livro nos dias de hoje que não gostaríamos que fossem assim? Pois é, infelizmente não são muitos, mas este é uma exceção. Com capítulos estruturados, a história narra a vida do Número Quatro, um alienígena (loriano) que foi a Terra com missão de protegê-la após seu planeta ser extinto por uma espécie de aliens, os mogadorianos. Através disso tudo, além de narrar a sua vida normal, de um adolescente que vai a escola, se apaixona por uma garota e tem um melhor amigo. John Smith tem que lidar com a presença dos seus legados (poderes) que vão crescendo aos poucos.


Motivo Positivo #2: Personagens cativantes.
Ao longo da história, são apresentados os personagens aos poucos. Um deles é o Sam, que de cara se torna melhor amigo de John Smith. Sam é viciado em aliens por conta de seu pai, que estudava sobre coisas do tipo. Sam não possui nenhum poder extraordinário, em fato, é isso o que torna ser melhor ainda em meio de uma guerra de alienígenas. Sabe aquela pessoa que quer lhe ajudar não importa o que aconteça? (Não pensem em Peeta, obrigado). Pois é, este é o Sam, não importa o que aconteça, ele faz de tudo para ajudar John e também, tentar descobrir o paradeiro do seu pai, que aparentemente, está sumido. E o melhor de tudo, ele nasceu na mesma data de nascimento que eu <3. A NÚMERO SEIS, diva, elegante, loira, poderosa e invisível. O melhor de tudo, não é um clichê, além de ser forte e também estar no lado bom da força, a gatinha tem uma longa história para contar, que não foi apresentada totalmente neste livro, e sim em “Os Arquivos Perdidos: Os Legados da Número Seis”. Pode-se comprar o livro online, e só possui 44 páginas. Ela ajuda na batalha final da trama, e também vem rastreando John por todo tempo (vale salientar que o livro apenas narra a vida do Número Quatro). Então, eu vou deixar vocês lerem para poderem gostar mais da personagem.




Motivo Positivo #3: A ação e o bom romance.
Definitivamente, a ação da história não deixa a desejar, de modo algum. Capítulos totalmente bem equilibrados e estruturados, e com detalhes de tirar o fôlego de qualquer um. Imaginem uma batalha de Jogos Vorazes, sem sangue, com poderes de luz, adagas espaciais e armas de fogo alienígenas. Pensou? Pois é. Sem falar na correria que é proteger a sua identidade nesse mundo, e ter de amar uma humana que pode sumir da sua vida a qualquer momento. Sarah é uma das parceiras mais meigas, bonitas e que te fazem pensar “aaaaaawn” que eu já tive o prazer de conhecer em minha vida. Claro que nem tudo gira em torno dela, mas é um grande arco e cheio de amor que traz um bom romance à história, e também posso dizer que não é nada clichê, e eles não se esbarram no meio do corredor para apanhar livros, POIS É. E o melhor de tudo é que, quando os lorienos se apaixonam, é para sempre (é isso o que John pensa, pois seu cêpan o contou isso, mas Seis diz que não é bem assim, mas vamos deixar isso para outra vez).



Motivo Positivo #4: Bernie Kosar.
Não basta ser melhor amigo do homem, fofinho e ainda alienígena, tem que ser melhor que os ‘humanos’. De fato, uma besta espacial totalmente incomum, onde eram comum em seu planeta. Cada ‘número’ possuí uma, juntamente com o seu cêpan. No caso de John, o seu é morto pelos mogadorianos, e só resta a ele a companhia da besta. Aliás, cão, já que passa uma boa parte do livro em forma de cão. Tirando o fato de que John consegue falar com os animais, Bernie é um ótimo animal, seja protegendo John ou lutando (o que, aliás, dá uma peninha dele até). Coloquei em um ponto positivo porque atualmente, não temos um amigo animal tão importante como nesta saga, e acho que todos nós deveríamos ter algum amigo para cuidar e sempre estar ao seu lado *-*

Embora tenha tantos motivos positivos, Eu Sou o Número Quatro não é um livro perfeito. É isso que nos leva ao quinto motivo de hoje.

Motivo Negativo #1: Precisamos de mais detalhes!
Infelizmente. Não é que o livro não tenha detalhes o suficiente, mas é como se já tivéssemos uma história “montada” e narrada pelo personagem principal, e por isso perdemos alguns detalhes que são necessários para podermos entender melhor. Claro que alguns personagens são introduzidos aos poucos, mas rola aquela confusão que não teríamos a partir de um prólogo. O fato de ser narrado em primeira pessoa também podem deixar algumas ideias vagas em nossas cabeças, que s melhor eu nem contar, porque quero que todos vocês leiam. Três foram mortos, mais outros seis estão vivos.

Resumo:
Em suma, o livro é muito bom, porque temos uma história (e uma saga) muito boa e bem elaborada por dois escritores. Para quem não sabe, Pittacus Lore é um codename para dois escritores. Atualmente, apenas um continua com o projeto. Vale a pena ler o livro e depois compará-lo com o filme, que não é um dos piores,  mas também não é uma grande adaptação. Que vocês todos sejam ~happy~, e espero que gostem do meu primeiro post. E também digo que, até agora, os Legados de Lorien possuem 3 livros, e alguns ‘spin-offs’  (Arquivos Perdidos, lançados já dois digitalmente aqui no Brasil: Número Seis e Nove), como citei anteriormente.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

RESENHA: Crescendo - Hush, Hush 2

4 comentários

ATENÇÃO! Esse livro faz parte de uma série e pode conter spoilers do(s) livro(s) anterior(es) na resenha. 

Nome: Crescendo - Hush, Hush 2
Autora: Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca
Links: Skoob
Comparando preços: por R$18,81 no Extra

Sinopse: A vida de Nora Grey ainda está longe de ser perfeita. Sofrer uma tentativa de assassinato não foi a melhor das experiências, mas, pelo menos, Nora ganhou um anjo da guarda: Patch, que de angelical não tem absolutamente nada, e, o pior: parece muito interessado na grande inimiga de Nora, Marcie Millar. Se não fosse pelo interesse de Patch em Marcie, Nora jamais teria notado Scott Parnell, velho amigo da família que acaba de voltar para a cidade. Ainda que Scott a deixe furiosa na maior parte do tempo, é impossível não se sentir atraída. Lá no fundo, porém, ela tem certeza de que ele guarda um segredo. Atormentada por repetidas visões do pai, inexplicavelmente assassinado anos antes, Nora começa se perguntar se haveria alguma conexão entre a morte dele e o fato de pertencerem a uma linhagem de nefilins. Ela quer descobrir o que realmente aconteceu, mas isso é muito arriscado. Algumas verdades ficam melhor mortas e enterradas - do contrário, podem destruir tudo em que você acredita.


Como a Thaís resenhou Sussurro (veja a resenha aqui), não pude dar minha opinião sobre o primeiro livro. Começo dizendo que, embora eu tenha certa implicância com alguns pontos, Hush Hush é uma ótima série. Embora não seja algo original e totalmente criativo, a escrita de Becca me prende a cada livro que se passa, e com Crescendo não foi diferente 
Nora e Patch estão oficialmente namorando, e a vida dos dois parece perfeita desde os últimos acontecimentos em suas vidas. Mas, para que a harmonia do casal seja quebrada, Marcie surge para atrapalhá-los. Embora possa parecer um triângulo amoroso clichê, a história toma rumos inesperados, e Marcie acaba se tornando uma peça no meio de tudo que acontece ao redor de Nora, como as imagens de seu pai lhe assombrando e os inúmeros pesadelos em preto e branco. Já seu anjo, Patch, se vê em situações ainda mais complicadas, que podem custar seu namoro e o amor de Nora. 
Um novo personagem foi criado para Crescendo, e ele é essencial para que a história aconteça: Scott, o rebelde quase sem causa. Amigo de infância de Nora, o garoto volta à sua cidade natal para resolver antigos problemas, em que a garota acaba se envolvendo. A autora tentou desenvolver um sex appeal entre os dois, mas não senti química no casal. Talvez porque Patch seja o cara perfeito para Nora, ou porque Scott se tornou um personagem fraco. Suas tiradas poderiam ter sido mais estruturadas, e o personagem acabou se tornando um poço de clichês, criado unicamente para formar um triângulo amoroso, já que a história com Marcie também não deslanchou.
A escrita de Becca me surpreendeu nesse segundo livro, e o amadurecimento dos personagens e da história é notável. Nora deixa de ser irritante com o passar das páginas, e isso é refletido em todo o livro. Os personagens secundários também foram bem construídos, como Vee e Rixon, que conseguiram me surpreender muito nesse volume. Mesmo assim, alguns pontos ficaram confusos para mim, como a questão dos vassalos. Tive que reler algumas páginas várias vezes, porque Becca nunca explica algo como deveria, deixando uma enorme interrogação no ar. Entendo que é ótimo para o suspense do livro, mas senti que a leitura poderia ser mais prazerosa se fosse mais explicada.
O final do livro é incrível, e nos mostra que a autora fez bem em largar a medicina para se dedicar aos livros. A história sofre inúmeras reviravoltas, tornando-a ainda mais eletrizante. Minha relação de amor e ódio com Hush, Hush continua, mas Crescendo conseguiu me conquistar. Finalmente, pude ver que Hush, Hush não é  Crepúsculo com Anjos, e que vale a pena ser lido e relido.


sábado, 15 de setembro de 2012

Resultado: Promoção "Mimos Vorazes"

2 comentários
Como as ganhadoras do primeiro sorteio não mandaram seus endereços, tive que sortear de novo. Parabéns aos novos ganhadores, e espero não ter que sortear de novo. A lista de prêmios pode ser conferida no post da promoção, e as regras são as mesmas: vocês tem 3 dias para mandar um e-mail com seus endereços para o e-mail do blog, e nós enviaremos os prêmios em até 30 dias.




Quatro Contra Um: O Segredo de Esplendora - A Origem

8 comentários

"Quatro Contra Um" é uma coluna semanal, com o intuito de falar sobre livros de uma forma mais humorada e descontraída. 



Na noite em que Heather recebeu a primeira visita de Mills, sua vida modificou-se por completo, e seus olhos abriram-se para um mundo novo. A jovem cientista viu-se sugada por um turbilhão de acontecimentos que a fez encarar novas perspectivas e desafiar suas crenças. Enquanto tentava aprender a lidar com seu verdadeiro eu, Heather descobriu-se em outro ser, o bem humorado e antigo vampiro, Henry.






Coluna nova do blog! Não estranhem que eu, Gabe, esteja fazendo esse primeiro post. Estou escrevendo-o para que os colunistas saibam como será o esquema, e a partir do segundo post a coluna vai ser deles. Mas vamos falar do livro? 

Coluna nova, coluna nova! \o/

Quando peguei O Segredo de Esplendora para ler, confesso que não conhecia nada da história. Ainda não tinha lido nada da autora e nenhum livro da editora também. Foi uma leitura agradável, mas um ponto me chateou muito. Abaixo, vocês verão minha lista, contendo 4 motivos para ler e 1 motivo para não ler O Segredo de Esplendora. Vem comigo!
Motivo Número 1: Stefan Salvatore Henry 
Calma, não vou fanguyar pra cima do personagem (até porque ficaria estranho pro meu lado, e sim, eu acabei de inventar essa palavra). A questão é que o personagem é, sem dúvidas, o livro em si. A carga emocional é toda feita pelo vampiro, que foi transformado aos 22 anos e evita beber sangue humano. Seu amor por Heather também é muito interessante, mesmo que pareça obsessivo algumas vezes.


Motivo Número 2: Mills, o Anjo do contra
Por ser protetora de Heather, o Anjo Mills está sempre por perto, mesmo que ninguém o veja. Após as cenas de sexo, para dar uma bronca na garota, para lhe aconselhar sobre o certo e o errado, não importa. Sempre que Mills aparecia, minha felicidade aumentava e as páginas iam sendo viradas no automático. Alguém precisava tirar o monotonismo de Heather, e esse alguém foi seu Anjo.


Motivo Número 3: A amizade entre Wesley e Stuart
Mesmo que os holofotes do livro estejam no romance de Heather e Henry, Wesley e Stuart foram a maior surpresa para mim. São personagens fortes, que trouxeram agilidade à trama em momentos de calma, onde o livro começava a esfriar. É muito interessante ver que Stuart se preocupa com Wesley, e vice-versa.


Motivo Número 4: Esplendora
A cidade dos Anjos é um cenário lindo, repleto de personagens encantadores. A história de Bruxos governando um lugar de Anjos foi bem explicada, e não me deixou grandes dúvidas. As outras criaturas citadas no livro também foram muito bem criadas, como os Elfos e as Fadas. Tantos seres mitológicos num só ambiente tendem a não dar certo, mas Tatiana criou bem esse núcleo do livro. 

Ok, chegamos: aqui vai um motivo para você não ler O Segredo de Esplendora.

Motivo Número 5: Semelhanças com outras séries
Graceland é uma cidade repleta de nuvens, com um ar cinzento, e o Sol aparece pouco. Essa descrição te lembrou alguma coisa? Caso isso não tenha acontecido, vou te dar a resposta: Forks, a cidade onde Bella e Edward (Crepúsculo) vivem. Os lugares são muito parecidos, e é impossível não compará-los; Como descrito no primeiro motivo para ler o livro, Henry é um vampiro que se nega a beber sangue humano, e é nessa hora que pensamos em Stefan Salvatore, de The Vampire Diaries. Ambos são galanteadores, pensativos e se apaixonam por uma garota aparentemente humana. Ah, e as semelhanças com TVD não param em Henry: os vampiros de O Segredo de Esplendora tem as mesmas características dos vampiros de The Vampire Diaries, como poder enfeitiçar suas vítimas e morrer com uma estaca de madeira. Mesmo com uma ótima história, as vezes me senti lendo uma fanfic e não algo original.

É Vampire Diaries? É Esplendora? Não sei, mas tô de olho.

Resumo:
Apesar de não ser o livro mais original que li, recomendo O Segredo de Esplendora para todos que gostem de arriscar. Foi uma leitura gostosa, sem grandes problemas e vontades de tacar o livro pela janela. Ver uma autora brasileira se jogando em enredos internacionais é bom, ainda mais se a história é bem feita. Faltou um pouco de criatividade, é claro, mas nada que possa atrapalhar o andar da história. É certo que Tatiana Mareto sabe utilizar as palavras, e estou ansioso para ler o segundo volume da trilogia.


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Resultado: Promoção "Mimos Vorazes"

3 comentários


Depois de 2980 entradas, terminou hoje a promoção "Mimos Vorazes", e trago-lhes os vencedores dela. Agradeço novamente a todos que participaram da promo, e espero que outras venham logo! Abaixo, vocês podem conferir quem ganhou.
As mesmas regras de sempre aos sorteados: 3 dias para enviar seu endereço pelo e-mail do blog e até 30 dias para a postagem dos prêmios nos correios.

E o primeiro prêmio vai para...

Parabéns, Jeniffer! Você levou um pôster do livro Jogos Vorazes: Guia do Tributo + a revista Coquetel com Jogos Vorazes + marcador oficial da série + duas cartelas de adesivos + marcador do Jogos Vorazes.Net + 6 marcadores sortidos.

Já o segundo prêmio vai para...

Parabéns, Eduarda! Você vai ganhar o mesmo pôster citado no kit acima + uma cartela de adesivos + 5 marcadores sortidos.



sábado, 8 de setembro de 2012

Mudanças e novidades no blog

7 comentários
Três meses de blog, uau! Não achei que conseguiria chegar a esse ponto, e agradeço a todos que continuam acompanhando as postagens. Com o crescimento do blog, decidimos fazer algumas mudanças, para torná-lo ainda melhor.

Para começar, a partir de hoje, o blog passa a se chamar apenas Desejos de Sábado. Não é uma grande mudança, mas é significativa. O primeiro título era grande demais, já o atual é pequeno e marcante. O endereço do blog continuará sendo o mesmo, não havendo mudanças nessa parte. Aos blogueiros parceiros, não é necessário trocar os banners e títulos do blog, só façam caso queiram.

Uma nova coluna entrará no ar, e se chama Quatro Contra Um. A ideia é tratar de livros de uma forma mais espontânea e humorada. O colunista da semana irá falar sobre um livro de sua escolha, listando quatro pontos positivos e um negativo, ou quatro negativos e um positivo. Tudo depende dos gostos do colunista!

A Lorena, antiga responsável pelo Pipocando, criou seu próprio blog (acesse-o clicando aqui), e por isso teve que sair do Desejos. Com isso, uma nova colunista assumirá a coluna, que continuará sendo relacionada à séries e filmes.

Três novos colunistas se juntaramm à equipe do Desejos, e eles serão responsáveis pelas colunas Quatro Contra Um e Pipocando. Aos poucos, seus perfis serão sendo adicionados à página da equipe. Confio que todos trarão ótimos conteúdos ao blog, e espero que vocês gostem.

Temos planos de mudar o layout, mas faremos sem um aviso prévio. Estamos trabalhando em um novo design para o blog, e não temos uma data definida para que ele vá ao ar.

Todas essas mudanças e novidades serão postas em prática com o passar do tempo, para que vocês, leitores, gostem mais do nosso espaço. Agradecemos os três meses, e torcemos para que muitos outros venham!


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pipocando: Sobrenatural

2 comentários


Pipocando é uma coluna semanal escrita por Lorena Rodrigues, que traz recomendações de séries e filmes.



Sobrenatural conta a história dos irmãos Winchester. Dean e Sam não são irmãos comuns, eles caçam demônios, mas isso não foi de uma hora para outra. Tudo aconteceu quando Mary, a mãe, foi morta por um demônio dentro do próprio quarto de Sam, o mais novo dos irmãos. Após alguns anos, os garotos não são mais tão garotos assim, Dean aparece um dia na universidade de Sam e diz que seu pai, John, desapareceu misteriosamente durante uma caçada. No início, Sam se recusou a ir por ter que terminar o período letivo, mas depois de muita insistência, os Winchester vão para a estrada em seu inseparável Impala. Em meio de toda essa reviravolta na vida dos irmãos, a namorada de Sam, Jessica, foi morta da mesma forma que Mary, por um demônio de olhos amarelos. É aí onde tudo começa, eles vão caçar o demônio que matou as pessoas que mais amavam, procurar John e matar demônio claro. Lema de Sobrenatural: ‘’Salvar pessoas, caçar coisas, o negócio da familia.’’ Quem nunca o ouviu?

O seriado fica bem mais interessante na quarta temporada, quando aparece o anjo Castiel. E bem, ele é tudo, menos o que esperamos que um anjo seja. As sacadas sarcásticas e o vício de chamar todo mundo de ‘son of a bitch’ de Dean é algo que eu gosto muito. Mesmo naquele momento cheio de tensão, o Dean solta uma piadinha e báh, faz todo mundo rir. Acho isso bem legal, mas sou suspeita para falar de Sam e Dean porque amo de paixão os dois, nunca tive motivos para falar algo ruim deles sim, eu sou baba ovo dos dois.




Eu aconselho a série para aqueles que gostam do estilo rock’n’roll de viver. Com jaquetas de couro, coturnos, um Impalaca antigo e o bom e velho rock and roll, os irmãos nos levam na grande aventura que é caçar seres sobrenaturais.  E devo admitir, é uma das coisas que eu mais gosto é a trilha sonora.
A série foi renovada para a oitava temporada, não se sabe muito sobre ela, mas há o rumor que terá 24 episódios. As filmagens começaram no dia 15 de julho e o primeiro episódio foi dirigido pelo próprio Jensen Ackles, nosso Dean.
Confesso que ainda não assisti todas as temporadas por falta de tempo e porque a preguiça ao deixava também, mas me deu uma saudade enorme e irei tentar retomá-la. Estou muito ansiosa para a próxima temporada porque, sinceramente, não tenho a mínima ideia do que os irmãos vão enfrentar. O que eles não enfrentaram ainda?


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

RESENHA: Cinquenta Tons Mais Escuros

5 comentários
Nome: Cinquenta Tons Mais Escuros
Autora: E. L. James
Editora: Intrínseca
Páginas: 512
Links: Skoob
Comparando preços: Por R$26,31 no Walmart (pré-venda, lançamento previsto para 15/09/2012)

Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir.
Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida. 


Vou começar a resenha falando que "Cinquenta Tons Mais Escuros" é, definitivamente, mil vezes melhor que "Cinquenta Tons de Cinza". E existem diverso motivos pelos quais eu acho isso. 
Primeiro: é um livro que, apesar de abordar muito o sentimento carnal, também tem espaço para mostrar um lado mais sensível. Nesse segundo livro, é muito interessante ver como os sentimentos dos personagens são abordados mais intensamente, diferente do primeiro. No primeiro livro, Christian e Ana ainda estavam descobrindo o mundo um do outro. No segundo, eles ainda não estão totalmente aprofundados nisso, mas já se nota uma diferença. Eu achei magnifico poder ver esse lado sentimental do Christian Grey, porque é como se tivesse quebrado uma barreira e o outro lado tivesse ficado quase transparente. E a Ana, que sempre demonstrou o lado sentimental dela, agora só intensificou isso.
Segundo: é possível descobrir muitas coisas sobre Christian Grey (tirando que ele é maravilhoso). É como eu disse anteriormente: o personagem ficou muito mais transparente. É legal poder descobrir mais sobre o mundo do personagem. Seu passado obscuro é algo que foi realmente interessante de se ver. Fez com que ficasse mais fácil de compreender o Sr. Grey. 
Terceiro: a relação sexual deles é intensificada sim, mas um pouco diferente do começo. Talvez seja um pouco mais "suave" para quem não está acostumado com essas coisas, ou talvez não seja. 
Quarto: os outros personagens foram bem aproveitados na história. E isso possibilitou conhece-los mais um pouco.
Algo que me incomodou por um breve momento no livro foi a repetição de algumas expressões, mas no meio, já havia esquecido isso e continuei a leitura sem mais problemas. 
Agora, vou ler o terceiro e último livro com uma dorzinha no coração porque, sinceramente, eu gosto muito de Cinquenta Tons (e até tenho planos de reler).